28 de abr de 2012

Mentiras educadas

Havia um adesivo colado no vidro traseiro de um carro que dizia: 'minha educação depende da tua'.Pensei enquanto parada no sinal, (entre xingamentos dos motoristas, entre as negações de moedas para as crianças de rua) qual seria o conceito de educação para alguém que expõe uma frase dessas.Imaginei aquele tipo que existe muito por aí atualmente, aquele do 'bateu,levou...'Se a educação de alguém depende dos outros, esse alguém se arrisca a ter apenas reações, e não atitudes vindas de seus pensamentos próprios, de suas convicções. Vive como um brinquedo de corda, que só se mexe a partir do resultado do comportamento dos pais, dos amigos, dos filhos.... Alguém que pode ser tão instável em suas ações quanto à quantidade de pessoas com as quais se relaciona...E aí, imaginei quantas pessoas não tem um adesivo como esse, colado em suas mentes? Um adesivo com outras palavras: 'a minha verdade no amor depende da tua'... Quantas mensagens com esse tema da mentira nos relacionamentos eu recebo todas as semanas!E me parecem sempre girar em torno desse adesivo imaginário: se você mente, eu minto também. Se você é infiel e não me conta, vou procurar, investigar,abrir senhas de computador, cavar as ligações de celular , até que eu possa provar que você mentiu.Se for perguntado se alguém admira a mentira, com certeza, vai me dizer que não, muito ao contrário! Mas, se não admiram, porque omitem também? Porque ficam inseguras ao pensar em decidir terminar um relacionamento por causa das mentiras?Não é estranho que os casais precisem ter o aval de um flagrante, de uma prova, para se sentir no direito de exigir a verdade entre eles, mesmo sendo a verdade um valor fundamental em sua vida? A verdade é, realmente, a melhor política em seu relacionamento? Até onde vão os limites das mentiras sinceras, das verdades para não magoar, dos segredos e privacidades individuais? Na educação como no amor, só deveríamos imitar o que admiramos, só deveríamos seguir os bons exemplos e modelos para nós. Nada dessa história do que é certo para os meus pais, para a sociedade, para os meus amigos! O que é certo para nós? Porque o que é valor verdadeiro, está escrito nas nossas pedras fundamentais, e não mudam assim ao sabor das influências.Senão, corremos o sério risco de nos tornar a cara de tudo aquilo que dizemos não aceitar...Esperar que seja 'provado' que o namorado mente, escondendo e mentindo para ter informações é imitar a mentira.Chocar-se com o assalto em seu bairro, mas bater no filho ou no cachorro é refletir a violência. Reclamar da inércia dos políticos, mas achar bobagem se manifestar na rua, é refletir a inércia.E por aí se vai reproduzindo o 'bateu, levou' em casa, na rua, na cidade, no país.O que será que vai parar esse círculo vicioso?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário